---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


População deve estar atenta à importância da prevenção e diagnóstico precoce na luta contra a Aids

Publicado em 09/12/2019 às 12:42 - Atualizado em 09/12/2019 às 12:42


Créditos: Silvana Barbosa de Souza Baixar Imagem

População deve estar atenta à importância da prevenção e diagnóstico precoce na luta contra a Aids

 

No Dia 1º de dezembro foi celebrado o Dia Mundial de Luta contra a Aids. Nesta batalha é de extrema importância a prevenção e o diagnóstico precoce do HIV. O vírus causador da Aids não tem cura, mas pode ser evitado com o uso de preservativos. No caso de pessoas já infectadas, o diagnóstico precoce é fundamental para um tratamento eficaz. Pessoas que não abandonam o tratamento conseguem viver mais e com melhor qualidade de vida.

A Coordenadora de Vigilância Epidemiológica/Imunização de Otacílio Costa, Elisangela Pereira, destaca que a utilização dos testes rápidos, disponíveis em todas as unidades de saúde, tem contribuído para o diagnóstico precoce. Os testes rápidos são realizados nas unidades de saúde, o resultado sai em, no máximo, 30 minutos.

 

Prevenção: A utilização do preservativo masculino ou feminino é imprescindível em todas as relações sexuais para prevenir não só a infecção por HIV como também outras inúmeras Infecções Sexualmente Transmissíveis. Os preservativos são distribuídos em todas as unidades de saúde, hospital e secretaria de saúde.

 

 

Outras formas de prevenção ao HIV são: A Profilaxia Pós-Exposição ao HIV (PEP) é uma medida de prevenção de urgência à infecção pelo HIV, que consiste no uso de medicamentos para reduzir o risco de adquirir essas infecções. A medida deve ser utilizada após qualquer situação em que exista risco de contágio, como: violência sexual; relação sexual desprotegida, sem o uso de camisinha ou com rompimento do preservativo; acidente ocupacional, com instrumentos perfurocortantes ou contato direto com material biológico.

O Secretário de Saúde Fernando de Souza, diz que além de realizar os testes, a secretaria trabalha com ações de sensibilização para que as pessoas entendam que a prevenção é o melhor caminho. “Observamos que as pessoas têm perdido o medo de contrair HIV e isso é algo muito sério. O HIV tem tratamento sim, mas não tem cura. A pessoa doente nunca mais terá uma vida completamente normal, sendo dependente de remédios e tratamento para o resto da vida. O HIV é uma doença muito grave e deve ser prevenida", ressaltou Fernando.