Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Número de infectados pelo coronavírus não para de crescer em Otacílio Costa

Publicado em 03/12/2020 às 12:27 - Atualizado em 08/12/2020 às 08:15


Créditos: Jornal Correio Otaciliense Baixar Imagem

Número de infectados pelo coronavírus não para de crescer em Otacílio Costa

 

Número é assustador e já é bem maior do que no pico da doença, nos meses de junho e julho.

 

O boletim epidemiológico do dia 24 de outubro confirmava a diminuição dos casos ativos na cidade, apenas 23 pessoas se encontravam nesta categoria. Já um mês depois, no dia 24 de novembro, foram registrados 212 casos ativos da doença. Na terça-feira, 24, em apenas 24 horas, 45 pessoas testaram positivo para a covid-19.

Os números relacionados aos casos confirmados de coronavírus crescem expressivamente em Otacílio Costa e toda região da Serra Catarinense. Somente nos 24 dias do mês de novembro foram confirmados 264 casos de otacilienses com a covid-19 no município.

Comparando os boletins epidemiológicos do dia 24 de outubro, o qual confirmava a diminuição dos casos ativos na cidade – havia apenas 23 pessoas transmitindo o vírus – com o do dia 24 de novembro, que registrou 212 casos ativos, percebemos que em um mês houve um aumento de 821% no número de infectados. A situação tem gerado preocupação na população, que tem se perguntado o que pode vir a acontecer no município com relação a novas medidas restritivas.

Na terça-feira, 24, a Capital da Madeira confirmou, desde o início da pandemia, 831 casos de coronavírus, com 04 mortes, segundo o boletim epidemiológico emitido pela Secretaria de Saúde. Ainda há dois pacientes internados na UTI e dois em leitos comum, no Tito Bianchini, e 323 pessoas sendo monitoradas. Os dados informam que 615 otacilienses já se recuperaram, mas somente neste dia 24, mais 45 pessoas positivaram para a covid-19.

A Secretária de Saúde, Terezinha de Liz, explicou que duas das pessoas internadas tinham doenças preexistentes e duas não. Uma senhora com mais de 70 anos, sem problemas de saúde anterior. Ela está entubada, mas corresponde ao tratamento. Um senhor com mais de 60 anos, também está entubado, porém estável. As duas pessoas que estão na enfermaria estão fazendo o uso de oxigênio.

 

O que diz o poder público

Segundo o prefeito Luiz Carlos Xavier, o Tio Ligas, em entrevista a nossa reportagem, todas as medidas que vierem a ser tomadas serão adotadas conjuntamente com os prefeitos e autoridades da Associação dos Municípios da Região Serrana (AMURES). “Estamos analisando juntamente com a Amures quais medidas serão adotadas conjuntamente. Por enquanto as medidas impostas continuam as mesmas: uso obrigatório de máscara em repartições públicas e privadas”, afirmou.

Ouvimos a secretária de Saúde, Terezinha de Liz, sobre novas medidas na sua área. Ela destacou que esteve em uma reunião com os Secretários de Saúde da Amures, na qual foi deliberado que novas medidas serão tomadas em conjunto. “Não adianta um prefeito tomar uma decisão de fechar tudo e outra cidade ficar aberta. Se fechar tudo aqui e Lages não fechar as pessoas vão para Lages. Aí não adianta”, mencionou.

Terezinha também falou que sua pasta está esperando a reunião com os prefeitos para decidir até que horas vão estender o horário de atendimento no Centro de Triagem. Segundo ela, uma dificuldade que a sua secretaria está enfrentando é encontrar médicos para contratação imediata. Até o momento, fecharam contrato com uma médica. Ela começou a atender na quarta-feira, 25. Mesmo sendo feriado municipal, o Centro de Triagem funcionou normalmente. “Conseguimos contratar uma médica. Ela está bem empolgada para começar a trabalhar.  Nossa demanda está muito grande aqui no Centro”, destacou.

 

O que diz a população

A população tem se manifestado nas redes sociais sobre a situação atual em Otacílio Costa. Algumas pessoas defendem que mais medidas restritivas sejam impostas à comunidade, como o fechamento do comércio, das academias, a paralização das atividades esportivas, uma maior fiscalização e punição aos infratores, entre outras medidas. Mas há também aqueles que entendem que as ações não devem ser impostas por meio de decretos e não veem a necessidade de se parar tudo de novo na cidade. Para eles, cada cidadão deveria saber como se portar e se preocupar com o próximo, em especial idosos e doentes, mas sem a necessidade de fechar tudo novamente.

A culpa da cidade ter voltado a tantos casos ativos, para alguns, é da própria população que viaja, faz festas clandestinas e mais algumas atividades. Já para outros, a culpa é do poder público que falha na fiscalização e na punição.

 

O que alguns otacilienses têm a dizer:

 

Elizete Fatima de Jesus, 57 anos, moradora do Bairro Santa Catarina.

“Está muito preocupante, precisamos de mais fiscalização dos órgãos competentes no uso de máscaras, nas ruas, nos comércios. Conscientização aos pais, com o cuidado das crianças muito expostas, que ao precisar sair deixem seus filhos em casa. Que sejam sanitizadas novamente as áreas onde existe mais fluxos de pessoas, principalmente no Posto de saúde do Santa Catarina, onde está passando mais de 100 pessoas diariamente”, declarou.

 

Alcioneide Daboite, 40 anos, morador do bairro Fátima.

“É necessário o isolamento dos grupos de risco. Idosos, pessoas com diabetes ou doenças respiratórias crônicas (asma, bronquite, etc). E claro, naturalmente o isolamento de quem está infectado. Pessoas saudáveis e com baixo risco, devem continuar suas atividades normalmente, evitando aglomerações e com os cuidados, como uso de máscara (especialmente em locais fechados) e higiene”, afirmou.  

 

Thiago Felipe Moser Souza, 25 anos, bairro Centro Administrativo.

“Esse aumento de casos era algo esperado. Mas não nesta proporção. O fato é que boa parte da população ignorou estes riscos e como consequência é a nova realidade vivida na região. Me pergunto, onde estão as medidas adotadas alguns meses atrás? Desde alarmes sonoros até fiscalização do uso de máscaras. Lockdown pode até dar prejuízo, mas é um prejuízo que o povo escolheu.

Fato importante a ressaltar é que as campanhas políticas e as comemorações de eventos unidos aos resultados das eleições municipais, junto com o descaso do atual governo em adotar medidas preventivas durante o período eleitoral, teve uma grande influência para o aumento de casos. A que ponto chegamos?”, pontou.

 

Crianças estão já com a doença em Otacílio Costa

 

Uma criança de oito meses já positivou para a covid-19 no município

 

Maria Luiza, enfermeira responsável pelo Centro de Triagem de Otacílio Costa, falou que antes, no período da diminuição dos casos, eles atendiam entorno de 30 consultas, mas agora, no mês de novembro, já chegaram a atender mais de 180 pessoas em um único dia.  No total, o Centro atendeu 4.069 consultas e realizou 1.397 testes antígenos, 943 sorológicos e 953 testes rápidos. 

Conforme a enfermeira, os profissionais de saúde estão trabalhando direto para atender a população. Estão atuando nos feriados, não estão fechando a UBS para o almoço e já prestaram serviço depois das 17h para suprir a demanda.

Quanto aos novos infectados, Maria pontuou que no início da pandemia era mais difícil ver crianças positivando, porém agora muitas delas estão testando positivo para a doença. Ela disse que eles já atenderam crianças de oito meses com resultado positivo para a covid-19 e a última que positivou tinha dois anos.

“Fique em casa por você e por nós que estamos na linha de frente.  Se você ama alguém fique em casa porque é muito triste ver um paciente que estava com você em um dia e no outro está na UTI. Não levem na brincadeira. Às vezes você vai sair ileso, mas um avô e uma avó não”, solicitou a enfermeira.

O Centro, situado no Posto do Santa Catarina, funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e 13h 17h. Nos finais de semana e depois desses horários o atendimento acontece no Hospital Santa Clara.